Black na Cena confirma três novas atrações em seu line-up

Tony Tornado, Black Rio e Funk Como Le Gusta se apresentam, respectivamente, na sexta-feira (22/07), sábado (23/07) e domingo (24/07), na Arena Anhembi, em São Paulo.

 O line-up do Black na Cena Music Festival(http://www.blacknacena.com.br/) está quase completo. A Entre Produções acaba de anunciar três novas atrações que prometem agradar aos amantes da música nacional. Na sexta-feira (22 de julho) Tony Tornado se junta ao ícone do funk George Clinton, Sandra de Sá e O Baile do Simonal. No sábado (23 de julho) será a vez da Black Rio se apresentar. A banda traz ao palco Slim Rimografia, Criolo e Negra Li e promete balançar a plateia ao se juntar com atrações como Public Enemy, Jorge Ben Jor, Xis e Marcelo Yuka. No domingo (24 de julho) será a vez de Thaíde convidar o Funk Como Le Gusta, que se junta aos rappers internacionais Naughty by Nature, Method Man e Redman.

 Tony Tornado

 O cantor e ator iniciou sua carreira nos anos 60 com o nome artístico de Tony Checker, dublando e dançando no programa Hoje é dia de Rock, onde imitava os cantores Chubby Checker e Little Richard. Depois de uma temporada nos Estados Unidos, voltou ao Brasil e influenciado por James Brown adotou o nome Tony Tornado e se introduziu na soul music e funk brasileiro nos seus primórdios. Em 1970 conquistou o Festival Internacional da Canção com a música BR3. Logo em seguida, lançou dois álbuns, em 1971 e 1972, ajudando a moldar o que se tornaria o funk nacional. Ao lado de Tim Maia e Cassiano, ele era a cara da nova música negra brasileira.

 Banda Black Rio

 Fundada em 1976 pelo saxofonista Oberdan Magalhães, a banda foi formada atendendo a um convite da gravadora Warner e teve seu nome inspirado no Movimento Black Rio. Na época, o grupo chegou a ser comparado a outros como Kool and the Gang e Earth e  Wind and Fire.

 A morte de Oberdan, em 1984, interrompeu a carreira da banda, que foi resgatada por seu filho, William Magalhães, 15 anos depois. O atual som do grupo alia suas raízes sonoras a um acento mais pop. Além do caldeirão em que se mistura jazz, samba, soul e funk, o som da banda ganhou pitadas do rap e letras mais contundentes nas composições de William e de novos parceiros como Mano Brown.

 O primeiro disco da Banda Black Rio, “Maria Fumaça” (gravado em 1976 e lançado em 1977), trouxe o funk e o soul para as rodas de samba e deu novo colorido a músicas de artistas como Edu Lobo, Luiz Gonzaga e Ary Barroso. A Banda Black Rio gravou ainda “Gafieira Universal” (1978) e “Saci Pererê” (1980). Participou de uma gravação ao vivo do disco “Bicho Baile Show”, de Caetano Veloso, no final da década de 70, material que ficou inédito até 2002, quando foi lançado em CD. Em 2001, lançou o álbum “Movimento”, primeiro com a formação liderada por William Magalhães, que foi reeditado um ano depois pelo selo londrino Mr. Bongo com o nome de Rebirth.

 Em 2002, o grupo recebeu o Prêmio Caras (Antigo Prêmio Sharp) de melhor banda pop rock com o álbum “Movimento”.

 Slim Rimografia

 O MC que começou sua trajetória como B-boy e depois se iniciou no grafite lançou em 2003 seu primeiro disco “Financeiramente Pobre”, que foi 100% independente. Com duas mil cópias vendidas de mão em mão, o MC foi indicado à categoria de Artista Revelação no Prêmio Hutúz, a maior premiação de Hip Hop da América Latina.

 Lançado em 2006, seu segundo CD, “Introspectivo” também teve uma tiragem em vinil, fator determinante para que o seu som fosse tocado nas pistas. Slim acaba de lançar seu terceiro álbum “Mais que Existir”, ao lado de Thiago Beats, uma das principais referências de beatbox no Brasil, especialmente pela variedade de ritmos e timbres que alcança.

 No trabalho, a dupla ultrapassa as barreiras do rap incluindo na música elementos do jazz e do blues. Entre as participações especiais, o álbum conta com nomes como Emicida, Kamau, RAPadura, Arcanjo Ras, Sorry Drummer (da banda Central Acústica) e do escritor e poeta Sergio Vaz.

 Slim Rimografia participou do festival Midem, em Cannes, em 2009, e mantém parceria com o renomado produtor norte-americano Clutchy Hopkins. Seu trabalho já recebeu elogios de nomes como Gilles Peterson e DJ Premier.

 Criolo

 Paulistano nascido em Santo Amaro e criado no Grajaú, Kleber Gomes, o Criolo, é filho de mãe professora e benzedeira e de pai metalúrgico. A periferia, berço do rap, atiçou a curiosidade do menino, que começou a rimar aos 11 anos. Seu primeiro registro em estúdio foi feito em 2006 com a canção “Aprendiz”. As mil cópias prensadas esgotaram em poucos dias.

 O som de Criolo é marcado por uma mistura de agressividade e humor, com letras tão refinadas quanto politizadas. Intrigante e apaixonante ao mesmo tempo, a arte de Criolo apresenta uma diversidade de gêneros musicais, misturando samba, afrobeat, bolero, reggae, uma levada romântica e a aspereza do rap.

 Criador da Rinha dos MCs, uma das festas mais autênticas do hip hop dedicada às batalhas de improvisação, Criolo não deixa de representar sua raiz musical em seu primeiro e recente álbum, intitulado “Nó na Orelha”, produzido por Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral e que vem sendo aclamado pela mídia.

 Negra Li

 Considerada uma das musas do rap nacional, Negra Li começou a se interessar pela música ainda na infância quando imitava Whitney Houston. Foi a partir desse momento que passou a ouvir mais black music. Aos 16 anos, interessou-se pelo rap. Iniciou sua carreira musical com o grupo de rap RZO, em seguida iniciou parceria com o rapper Helião e atualmente a cantora está em carreira solo, a qual iniciou-se com o lançamento do CD “Negra Livre”. Já gravou com: Caetano Veloso, Nando Reis, Charlie Brown Jr, Belo, Martinho da Vila, Gabriel o Pensador, Pitty, Jeito Moleque, Walter Alfaiate, Skank, D’Black, Akon, Sergio Britto, NX Zero entre outros. Além de estrelar o filme Antônia, que virou uma seriado homônimo na TV Globo.

 Funk Como Le Gusta

 O Funk Como Le Gusta é um conjunto musical paulistano de samba, soul e funk, formado no final da década de 1990. A trajetória tem sido marcante, desde o início de sua carreira, quando promoviam as inesquecíveis jams do Espaço Anexo. No novo trabalho, a banda mantém o seu lado dançante e continua a incorporar elementos de outros estilos, tais como o chorinho, o jazz e os ritmos latinos. Convidado por Thaíde, o grupo se apresenta no domingo (24 de julho).

Com expectativa de reunir 60 mil pessoas nos três dias de evento, o Black na Cena contará ainda com a presença de George Clinton (fundador do Parliament-Funkadelic), Public Enemy, Method Man, Redman e Naughty by Nature e artistas brasileiros como Sandra de Sá, O Baile do Simonal, Marcelo Yuka e Xis. Em uma tenda paralela, nove DJs renomados, como Grand Master Ney, farão o som ambiente e haverá uma série de atrações paralelas como encontro de lowriders, performance ao vivo de grafiteiros e de B-Boys. Os interessados podem adquirir seus ingressos ainda a preços promocionais pela internet no site http://www.zetks.com/.

Programação 

Em breve, novos artistas serão confirmados.

 Sobre o Black na Cena Music Festival:

Festival dedicado à música e cultura negra, o Black Na Cena acontece entre os dias 22 e 24 de julho, na Arena Anhembi, em São Paulo. Idealizado por Ricardo de Paula, da Entre Produções, o festival é realizado pela produtora em parceria com a Multvídeo Produções, empresa responsável pela geração de imagens em alta definição. O objetivo do evento é atrair um público eclético para celebrar de maneira plural o importante legado da cultura afro na música mundial, espalhada em diversos ritmos. Para isso, foi montada uma programação que contempla artistas nacionais e internacionais do hip hop, rap, reggae, R&B, rock, samba rock, soul, v-funk. Entre as atrações já confirmadas estão: George Clinton, que comemora seus 70 anos de idade no dia 22 de julho em cima do palco, Sandra de Sá, O Baile do Simonal, Public Enemy, Marcelo Yuka, Xis, Redman, Thaíde e Racionais Mc’s. A programação do evento conta ainda com encontro de lowriders, performances ao vivo de grafiteiros e de B-Boys. Mais informações no site: http://www.blacknacena.com.br/.

 Sobre a Entre Produções:

Criada em 1999 pelo empresário Ricardo de Paula, a Entre Produções iniciou sua atuação na área de montagem de estruturas para evento e expandiu o negócio, trabalhando, desde meados de 2004, na concepção, planejamento e execução de eventos. A produtora atua em todo território nacional e conta com profissionais com mais de 20 anos de experiência na área de produção cultural, eventos e montagens. O portfólio da Entre conta ainda com clientes como Agência HMelillo (Ecovias, AES Eletropaulo), Agência LED/Motorola (Aniversário de São Paulo) Agência Click (Caravana vem Mercedes-Benz), 63 Mkt (Fórmula 1), Natal Iluminado, Guaimbé Bureau de Cultura (Telefônica, Volkswagen, Bradesco e Cielo), Nokia (StockCar in Concert),  Samba.Pro (Renault), SescSP, Toyota Empilhadeiras e Unique Nissan, entre outros. Mais informações no site: http://www.entreproducoes.com.br/

Anúncios

Os comentários estão desativados.